Os pilares tecnológicos da Indústria 4.0


A indústria 4.0 é baseada em 09 pilares tecnológicos.

A maioria destes nove pilares atualmente estão em uso em fábricas, no entanto, é na Indústria 4.0 onde estas tecnologias vão transformar a produção: células isoladas e otimizadas se juntam para formar fluxos de produção totalmente integrada, automatizada e otimizada, que ele vai trazer uma maior eficiência e uma mudança nas relações de produção tradicionais entre distribuidores, produtores e clientes, e entre máquinas e seres humanos.

  • Big Data e análise

A análise de grandes quantidades de dados surgiu recentemente no mundo industrial, permitindo optimizar a qualidade da produção, economizar energia e melhorar o equipamento. Na indústria 4.0, a obtenção e avaliação exaustiva dos dados de muitas fontes diferentes (equipamentos e sistemas de produção, sistemas de gestão de clientes ...) se tornará padrão para suportar a tomada de decisão em tempo real.

  • Robôs autônomos

Há algum tempo as indústrias utilizam robôs para lidar com tarefas complexas, mas agora eles terão uma maior utilidade. Mais e mais autônoma, flexível e cooperativo na medida em que interagem com outros robôs e trabalham lado a lado com os seres humanos com segurança, aprendendo com eles. Estes robôs vão custar menos e ter mais capacidades do que os atualmente são usados ​​na fabricação.

  • Simulação

Na fase de engenharia e simulações em 3D sobre os produtos, atualmente são utilizados materiais e processos de produção. Mas em simulações futuras serão utilizados também mais extensivamente as informações da planta. Estas simulações exploram os dados em tempo real que refletem o mundo físico em um modelo virtual, o qual irá incluir máquinas, produtos e seres humanos. Isto irá permitir aos operadores testar e otimizar as configurações das máquinas para o próximo produto na linha de produção virtual antes de qualquer mudança no mundo físico, reduzindo assim os tempos de preparação das máquinas e aumento da qualidade.

  • Sistemas de integração horizontal e vertical

A maioria dos sistemas de TI (tecnologia da informação) atualmente não estão totalmente integrados. Empresas, distribuidores e clientes muitas vezes não estão ligados. Nem departamentos como engenharia, produção ou serviço. Mesmo o próprio (produto-planta-automação) departamento de engenharia carece de integração plena. No entanto, com a Indústria 4.0 empresas, departamentos, funções e capacidades, será muito mais coesa. Redes de integração de dados universais permitirão que as cadeias de valor sejam verdadeiramente automatizadas.

  • Internet Industrial de coisas

Hoje, apenas alguns sensores e máquinas em rede trabalham e fazem uso de computação embarcada (IOT). Normalmente são organizados em uma automação vertical em que sensores, dispositivos de campo com controladores de inteligência e automação são limitados e regidas por um sistema de controle global. Com a Internet industrial das coisas, um maior número de dispositivos (às vezes até mesmo de produtos não acabados) serão acrescentados e se conectarão por meio de padrões tecnológicos. Isso permitirá que os dispositivos de campo se comuniquem e interagem com os outros como controladores mais centralizados, conforme necessário. Também descentraliza a tomada de análise e decisão, que permitirá respostas em tempo real.

  • Cibersegurança

Muitas empresas ainda dependem de sistemas de gestão e de produção desconectado ou fechado. Mas com o aumento da conectividade e uso de protocolos de comunicação padrão envolvidos na Indústria 4.0, a necessidade de proteger os sistemas críticos e linhas de produção industrial de ameaças cibernéticas aumentarão dramaticamente. Como resultado, eles são as comunicações essenciais, seguras e confiáveis, gerenciamento de sistemas sofisticados e de identidade e acesso de máquinas e usuários.

  • Cloud Computing

Empresas já utilizam algumas aplicações de softwares e análises baseadas em nuvem, mas com a Indústria 4.0 um maior número de tarefas relacionadas a produção requer um maior intercâmbio de dados entre os locais e empresas. Ao mesmo tempo, os desempenhos das tecnologias nas nuvens melhorarão, atingindo tempos de reação de alguns milissegundos. Como resultado, os dados e funcionalidade das máquinas será gradualmente cada vez mais utilizado fazendo uso da computação em nuvem, permitindo que mais serviços de sistemas de produção baseados em dados.

  • Fabricação aditiva

As empresas estão apenas começando a adotar fabricação aditiva, como a impressão 3D, que é usado principalmente para a criação de protótipos e produção de componentes individuais. Com a Indústria 4.0, estes métodos são amplamente utilizados para produzir pequenos lotes de produtos personalizados que oferecem vantagens de construção e desenhos complexos. Teremos sistemas fabricação aditiva descentralizados, de alto desempenho, reduzindo as distâncias de transporte e estoque.

  • Realidade aumentada

Sistemas de realidade aumentada com base em suportar uma variedade de serviços, tais como seleção de peças em um armazém e de reparação do transporte através de dispositivos móveis. Estes sistemas ainda estão em seus estágios iniciais, mas no futuro as empresas vão fazer uma realidade aumentada muito mais ampla para fornecer aos trabalhadores informações em tempo real, a fim de melhorar a tomada de decisões e procedimentos de trabalho. Por exemplo, os trabalhadores receberão instruções sobre como substituir uma determinada peça, enquanto eles estão olhando para o sistema que será reparado por meio de óculos de realidade aumentada, por exemplo.

Escrito por: SAAD SOLUTIONS

#industria40 #plm #Ciclodevida #DesenvolvimentodoProduto #PLM #Industria40 #Industria4 #BigDataeanálise #BigDataeanáliseRobôsautônomos #InternetIndustrialdecoisas #Sistemasdeintegraçãohorizontalevertical #Cibersegurança #CloudComputing #Fabricaçãoaditiva #Realidadeaumentada

0 visualização

© 2009 por SAAD Solutions.

  • facebook
  • linkedin
  • youtube